NOTÍCIAS

Associada aos festejos do padroeiro, S. Mamede, está, há já 17 anos a construção do tapete de flores. Esta montagem não se resume apenas à escolha de flores ou à dedicação na noitada de sábado para domingo… Todas as decisões e trabalhos começam bem antes do mês de julho com a escolha da forma, com o contato com o desenho da “carpete” e a escolha das cores a usar.

 

Os trabalhos “puxados” começam com o arranjo das flores, que se iniciam, normalmente, na semana anterior ao fim de semana da festa.

Sábado, depois da celebração das vésperas, dá-se início à montagem do tapete: começa-se por moldar o serrim de forma a que todo o comprimento do tapete seja alinhado, de seguida usa-se a forma onde se colocam as flores e os verdes (cedro cortado) que dará vida ao tapete.

 

É nesta noite que a comunidade sai à rua e, um grande número mete mãos à obra e ajuda. Há muito o hábito de ir ver os trabalhos no tapete, entre dois dedos de conversa e uma pausa para o típico chá da meia noite, dá-se por terminada a sua montagem (algumas vezes já pelo raiar da alvorada).

 

Apesar de estas festas terem um carácter religioso, a contrução do tapete e as

habituais marchas populares de domingo à tarde atribuem ao S.Mamede uma parte profana que acaba por captar a atenção de crentes e não-crentes.

Maria Inês Cerqueira

Tapete de Flores

Festa S. Mamede de Perafita

2017